Archive Page 2

Março 2011

E aqui estou! Vivendo longe de tudo, de todos. De casa, dos amigos, das festas. Longe de tudo que eu tinha por comum, longe da vida que eu chamava de minha. E seria muita idiotisse dizer que não sinto falta. Seria mentir pra mim mesma, e eu já não faço mais isso.
Sinto falta de ter que acordar cedo, e reclamar porque teria que ir trabalhar o dia todo. Sinto falta de esquentar a comida no microondas da empresa, e almoçar falando merda com as meninas. Sinto falta de falar merdas com os Meninos no msn, e skype. Falta de ir perguntar coisas que não eram da minha conta pro Marco. Sinto falta de passar feriados na casa da Taís, e sinto falta das loucuras que costumávamos fazer. Falta das minhas sobrinhas – minhas luzes. Falta de ficar horas no msn com a Camila e o Junior, sabendo que não tinha motivos pra não ficar. Sinto falta de ir ver filmes com o Pedro Henrique, e falta de falar merda com a ONG.
Mas devo ser sincera, e dizer que não trocaria nada do que já vivi pelo que estou vivendo. É clichê dizer o quanto eu cresci em dois meses – mais do que todos os meus 19 anos em casa. Mas, não há como passar reto por clichês, quando a história é sobre a garota do interior que deixou a casa dos pais pra ir estudar.


E bem, a garota do interior anda feliz. Estudando. Conhecendo gente. Conhecendo a vida.

Anúncios

… e o que eu senti

“Deixa eu mimar você, adorar você… Agora, só agora! Por que um dia eu sei, vou ter que deixá-lo ir!”

 

Estava agora ouvindo aqui “Só Agora”, da Pitty <3. E nunca pensei que uma música tão simples fosse me deixar nessa paranóia…

Hoje finalmente eu terminei de organizar as coisas da mudança. Faltam só algumas roupas que precisam ser passadas ainda, e ai vou fechar a mala, e aguardar a hora de partir. Hoje é meu penúltimo dia em casa, e parece que sinto meu coração batendo mais devagar. Até meus olhos piscam mais lentamente… Parece que querem registrar cada momento, cada espacinho da minha casa. Eu queria poder levar meus pais comigo, meu quarto, minha sala: MINHA VIDA, pra ser mais sincera. Mas aí, eu não estaria crescendo, não é? E, devo assumir que já passou da hora desse momento chegar…  Mesmo querendo ficar do jeito que está, sinto que chegou a hora de partir. E eu me desejo sorte, lá em Marília.
Sei que por dentro, minha mãe deve estar cantarolando a música da Pitty que tanto tenho escutado. Só queria que ela e meu pai soubessem que também está doendo em mim.

 

     

 Mesmo quando eu não mais estiver... 
Lembre que me ouviu dizer
o quanto me importei e o que eu senti.

Malas prontas.

Ah, que dia cansativo, hein! Hoje fui às compras, pois precisava organizar os últimos detalhes da minha mudança.

Comprei várias coisas pra casa mesmo – me senti A dona de casa, na verdade haha! E comprei coisas pra mim (e como sempre, não poderia de deixar de comprar uma bolsa linda e incrível que piscou pra mim na vitrine). Comprei uma frasqueira enorme, e ainda assim meus perfumes, cremes e maquiagens não ficaram todos instalados nela… Eu acho que sou um pouco exagerada quando à compra de maquiagem (e todas as outras coisas, assumo!)
Incrível como não nos damos conta de quantas coisas possuímos, até termos que colocar tudo dentro de caixas. Um dos quartos aqui de casa está um verdadeiro caos, tentando abrigar minhas roupas, sapatos, maquiagens e etc. Caixas e mais caixas empilhadas, malas, necessaries, bolsas. Minha vida empacotada em alguns metros quadrados. Estranho, não?! Tento me sentir como a Elizabeth Gilbert, mas nem sempre é fácil. – Se alguém aqui já leu/assistiu “Comer, rezar, amar”, vai entender o porque de tentar me comparar à ela. Está sendo tão complicado lidar com essa coisa de SE MUDAR, IR EMBORA, DAR UM GOODBYE PROS MIGOS, ZARPAR, ADIOS. Eu só queria conseguir me adaptar rápido com a idéia, mas hmm, EU NÃO CONSIGO, me desculpem. Sempre que penso no assunto eu sinto MEDO. Medo de viver com pessoas diferentes de mim, medo de não ter meus pais, medo do novo…
Well, eu sei que as coisas vão ficar ok, porque eu ACREDITO nisso, e ultimamente o mundo está me provando que se eu acredito, as coisas funcionam. Ele me ensina, Ele me guia, então vai ficar tudo bem, né? Eu coloquei em Suas mãos. Agora vou lá editar umas fotos, e descansar um cadinho, xxx.

PS: Pra  os que não sabem, eu sou uma eterna apaixonada por bolsas.

Retorno

Um bom filho à casa torna, certo? – CERTO.
Fiquei um tempo sem atualizar o blog, e sinceramente eu até me cansei desse design atual. Mudarei em breve, haha!
Como sabem, eu passei na Universidade Estadual Paulista (a.k.a. UNESP), e estou de mudança para Marília, que é a cidade que abriga o meu curso (Para os desinformados, eu passei em 9º lugar no curso de Arquivologia). As malas aqui estão praticamente arrumadas, mas ainda tenho que comprar várias coisas. Na última sexta-feira (18 de fevereiro) foi meu último dia no emprego, e devo assumir que fiquei com o coração apertado por deixar a empresa depois de quase 2 anos.
Mas as coisas mudam, e nessa nova fase, faz parte praticar certo desapego com as coisas. Eu nunca dei tantas coisas pra caridade, ou joguei no lixo: vocês não têm ideia de quanta coisa ‘inútil’ havia no meu guarda-roupa. Algumas coisas serviram pra trazer aquele ar de nostalgia (que particularmente eu até gosto), e outras coisas tive vontade de rasgar, picotar, afinal, minha frase durante a arrumação do guarda-roupa foi: “EU USAVA ISSO MESMO?!”. Sim Jéssica, você usava.
Comprei algumas coisas e já, e eu realmente precisava de um celular novo, mas infelizmente estou acreditando que o dinheiro que tenho não será suficiente. Uma pena, mas acontece.
Tenho ‘companheiras de quarto, casa e derivados’ já, e elas são muito amáveis – Agradeço muito por isso, afinal serão 4 longos anos. Opa, não comentei esse detalhe: estou indo morar fora sem os meus pais, o que de início(meio e fim) é bastante assustador, mas acredito fielmente que conseguirei passar por essa barreira – PASSAREI FOME, PORQUE NÃO ME VEJO SEM AS MARAVILHOSAS COMIDAS DA DONA CLEUSA.

PS: revelei cerca de 60 fotos hoje. Alguém quer me doar um álbum lindo pra colocá-las?

Unesp

A vida é feita de escolhas, certo? E chegou o meu momento de escolher o melhor pra mim. Desculpa se nesse momento eu não estou pensando em ninguém – a vida que será afetada é a MINHA então vocês me entendem. Espero que entendam… A caminhada vai ser difícil, as coisas serão complicadas a partir de agora… Mas estou indo realizar meu sonho, e não tenho hora pra voltar 😉

 

 

Marília, aí vou eu!

 

 

Muda essa merda logo.

Puta que pariu. É amanhã. Caralho, é amanhã que a minha vida pode (ou não) mudar, e a ansiedade me consome cada segundo mais. E só eu sei o quanto eu preciso de mudanças atualmente. As coisas não andam fáceis… Várias coisas ao mesmo tempo, e o ponto alto de todos os meus problemas são as pessoas. E nem preciso dizer que pessoas. Ultimamente, estou achando muita gente FILHO DA PUTA. Pessoas que antes eu tinha até certa admiração, um certo respeito. Hoje em dia não passa de raiva, de nojo. Eu cansei de ter que viver da maneira que impõe pra mim… Me cansei de fazer as coisas e ser chamada de incompetente, e realmente estou querendo pedir as contas – do emprego, das pessoas, DA MINHA VIDA.

Então, por favor: torçam pra que eu encontre meu nome na lista amanhã. POR FAVOR MESMO. Porque essa porra vai ter que mudar de um jeito ou de outro. OU eu passo nessa merda, ou eu resolvo meus problemas com a serra elétrica.     

A história do final do ano mais incrível do mundo:

 

Começando pelo natal:

 


 

 

 

Passei lindona na casa da sogra do meu irmão (Dona Ciça, um beijão pra você!) e cara, foi loucura, viu?! A véspera foi de leve, tranquilona, todo mundo muito arrumado, muita comida, Camila no celular por pelo menos uns 40 minutos *o*. Casa da Lets um cadim mais tarde, e tive que ouvir MARK MARK MARK MARK MARK até às 06h da matina (: – Sim, ela ficou repetindo isso até de manhã, e fomos dormir quando o sol nasceu. Delícia ‘-‘ Acordamos ‘cedo’, e fomos pra casa da D. Ciça outra vez, yeah. E aí o negócio ficou bom, hein!


 

Gente, eu não bebi UMA GOTA DE ALCOOL, mas velho, eu ri e me diverti igual quem tava bêbada, sério. Foi muito divertido, e eu perdi as contas de como eu dei risada, do quanto dancei, pulei, ME MOLHEI. Sério, até chuveiro improvisado tinha KKKK. E eu me diverti tanto, cara. Nossa (L) . Além de passar com minha sobrinha linda (faltou você, Isa D:), ainda andei de triciclo (?) e RI PACAS. Voltamos pra casa a noite, todas quebradas, e ainda ficamos rindo, gravando vídeos, e fomos dormir DE MANHÃ OUTRA VEZ kkk.

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

E para fechar o ano com Chave-de-Ouro: tive uma das melhores viradas de ano da minha vida, hein! Com as minhas sobrinhas maravilhosas, e mais uma miga. Meu, o tanto que eu ri, bebi, dancei, não tá escrito – aliás, está sendo escrito NOW U_U.  Anyway, eu gostei muito. Sinto as dores no meu corpo até agora inclusive! Eu ainda me lembro de tudo o que eu fiz. Com certeza, irei lembrar por muito tempo, porque os últimos dias do meu ano foram intensos, viu?!

 

 

 


 

Coisas lindas da minha vida (L) – Na ordem: Letícia, Bruna, Eu e minha Isa

 

 

Gente, até A LETÍCIA BEBEU! Sério. E eu tenho provas (sou uma ótima paparazzi, fala ai )


 

Acho que ela gostou DHIUASHDIUHSAIUDHSUIAHDUISAHDUISAHDIUSAHDIUASH. Ou não hm. Enfim, a gente chegou cedo na praça, bebemos, tiramos fotos lindas *-*


 

Ou, não tão lindas hm. KKKK. Ficamos louconas, vimos os fogos, conhecemos os migos, bebemos, rimos, dançamos, bebemos, bebemos, rimos, dançamos e HMMM, coisas assim KKKK.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 

Mas de qualquer maneira: Letícia, Isabela, Bruna, Migos, obrigada por terem me dado o melhor réveillon de todos os tempos

E Camila, obrigada por ter me feito rir demais bêbada no telefone!


A dona da mente perdida .

Jéssica, 20 anos. Universitária, leitora compulsiva, mente desestruturada, falante e irritante. Já sonhei em mudar o mundo, mas hoje me sinto feliz vivendo um dia de cada vez. ABOUT

minha mente perdeu a direção .

Porque esse nome, Jéssica? Bem, a minha mente é um viajante nato que de tanto voar atoa por ai, acabou perdendo a direção! Tá, é brinks -ounão. Simples, é um trecho da música Valentine's day, do Linkin Park que eu conheci em meados de 2009, e acabou marcando. '-'  E quando vim fazer o blog, foi uma das primeiras frases que me passaram pela cabeça

Lost Time .

outubro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Lost Way.

Flickr Photos

Mentes perdidas

  • 4,831