Segunda-feira, 01 de julho de 1991, 23h40min e o médico deu o veredíto: É MENINA. Após 9 meses de uma gravidez não muito agradável, e algumas enrolações pra nascer, quase no dia 02 de julho eu resolvi sair do útero quente e fofinho da minha mãe. Com a bunda ralada, diga-se de passagem. Chorei. Chorei com gosto, e continuo fazendo isso até hoje. Aliás, uma das minhas características mais marcantes é essa: eu choro por causa de qualquer coisa, qualquer coisa mesmo. Se estou feliz, triste, puta da vida e o diabo a  quatro, a minha reação SEMPRE é o choro, é.
Enrolei pra nascer. Era pra ter nascido por volta do dia 16 de junho. Mas eu nunca ficava na posição certa, e o combinado era parto normal… Mais uma vez estipularam uma data. “29 de junho mãe, tenho certeza”. Dr. Pedro enganou minha mãe, tsc tsc, e ela até cogitou a ideia de me dar o nome de ~Pedrita~, é. Ainda enrolo tudo. Sou uma grande irresponsável, não obedeço prazos, datas, horários… Vivo no meu tempo.
Faço aniversário exatamente no meio do ano, e isso fez com que eu perdesse um ano da escola. Enquanto os meus amiguinhos foram pro prézinho, eu tive que cursar o jardim. Não me arrependo nenhum pouco, afinal nesse ano eu fiz diversas apresentações de teatro, inclusive no desfile de 7 de setembro. Já escrevia ‘de mão’, já sabia ler, e era o xodó da ‘tia Maria Eliza’ . Com 6 anos eu ganhei minha primeira coleção de livros. Li todos em um dia. Leio e escrevo compulsivamente, desde que me conheço por gente.Com oito anos ganhei minha primeira medalha de ‘Honra ao mérito’, devido a minha classificação num concurso de redações. Detalhe: eu fui a mais nova inscrita. Perdi minha melhor amiga num acidente de trânsito no mesmo ano. E também ganhei a boneca da Sandy, mas isso não adicionou nada a minha vida, u_u’.
Já pensei em ter pelo menos umas 234809238409238 profissões. Brinquei de boneca até os 14 anos. Não gostei do meu primeiro beijo, e estava com catapora na minha festa de 15 anos. Todas as minhas características estão comigo desde meu nascimento, embora eu não saiba. Aliás, nascimento está comigo desde sempre também. Ouço música o tempo todo. Tenho mais sono do qualquer pessoa que eu conheço. Dizem que eu explico tudo muito bem. Minha mãe diz que eu deveria fazer pedagogia, ou alguma coisa que ‘dê dinheiro’. Meu pai diz que eu deveria ficar mais em casa, e cuidar deles. Eu só queria ter vivido nos anos 60/70.
Moda pra mim é conforto, amizade é confiança e bons momentos são aqueles que serão memoráveis pra sempre. Nunca escrevo uma redação como ela tem que ser. Já fui muito boa em teatro, talvez daí venha a minha habilidade incomum com o drama. Sou viciada em café, internet, Beatles e Supernatural. E em falar… Gosto muito de falar, mesmo sozinha. Canto melhor quando estou bêbada, nunca fui atropelada por um panda gigante, e nunca tive overdose.
Não tenho avós. Não sou muito próxima da minha família, com excessão de poucas pessoas. Trabalho num emprego que não tem nada haver comigo. Tenho uns piercings ai, e me canso rápido de tudo. Já tive pelo menos uns 15 blogs, e todos morreram com mais ou menos um mês. É sofrido, mas eu aprendi minhas maiores lições com os meus erros. Meu nariz é gelado. Gosto de mãos. Das que são macias, principalmente. Possessiva, chata, chorona, enrolada, ciumenta, preguiçosa, book holic, fotografa amadora e entediante – não se pode esperar muito de alguém que nasceu numa segunda-feira.


Falo muito, não sei concluir as coisas que escrevo, todos meus assuntos são baseados na aleatoriedade da minha mente  e não consigo levar a sério pessoas que usam crocs.


Anúncios

1 Response to “About”


  1. 1 Nenis 19 de agosto de 2010 às 19:11

    Tbm não consigo levar a serio pessoas que usam crocks kkk
    Vc esqueceu de dizer que é amiga, espontanea, uma otima pessoa, carinhosa e muito mais ^^


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




A dona da mente perdida .

Jéssica, 20 anos. Universitária, leitora compulsiva, mente desestruturada, falante e irritante. Já sonhei em mudar o mundo, mas hoje me sinto feliz vivendo um dia de cada vez. ABOUT

minha mente perdeu a direção .

Porque esse nome, Jéssica? Bem, a minha mente é um viajante nato que de tanto voar atoa por ai, acabou perdendo a direção! Tá, é brinks -ounão. Simples, é um trecho da música Valentine's day, do Linkin Park que eu conheci em meados de 2009, e acabou marcando. '-'  E quando vim fazer o blog, foi uma das primeiras frases que me passaram pela cabeça

Lost Time .

outubro 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Lost Way.

Flickr Photos

Mentes perdidas

  • 4,831

%d blogueiros gostam disto: