lições.

E todo mundo sempre me pergunta: o que foi que você aprendeu, então? Sinceramente? Nunca aprendi física, e se tirei boas notas no primeiro ano era porque a professora ia com minha cara. Sempre achei matérias exatas muito “frias”, e acreditava tanto no ser-humano que me foder por causa disso se tornou lei. E aí está a primeira grande coisa que eu aprendi: confiar em alguém é um ato nobre. Atos nobres exigem certos sacrifícios. Não sou masoquista… nem tão pouco Jesus Cristo. E então eu me tornei a pessoa que eu repudiei por anos. Segunda lição: possivelmente você irá se tornar tudo que você mais detesta. É uma forma do destino sempre te mandar o recado “Sou eu que mando aqui, porra!”. Durante muito tempo eu almejei uma nota 10, e me sentia completa quando chegava a tal resultado. Hoje, na faculdade, eu realmente brindo um bom 7.9. Terceira grande lição: sair viva da faculdade é bem mais importante que ter boas notas. Não aprendi muita coisa. Não sei dizer se ensinei. Talvez nesses 20 anos – um tanto quanto vazios – eu tenha aprendido a apanhar da vida. E a beber um bom café.

Escrito em Julho/2011

infantil e louco…

Eu não gosto muito de postar músicas nem nada do tipo, mas há alguns dias essa música está em minha cabeça, e tenho deixado todo mundo louco aqui em casa, porque não paro de cantar ela um minuto sequer o_o.

Quero então, deixar ela na cabeça de vocês também, hihi.

    

Música, palavras. Sinceras. Palavras que fazem sentido, pra mim.


Em uma frase: 
Por que não sorrir de volta? Você nunca olha a sua volta.

Tanjoubi omedetou!

Quero começar te chamando de BAKA.

Eu ia deixar pra escrever isso depois, bem depois. Mas resolvi que quero fazer agora, afinal até dezembro tem tempo ainda (dezembro é nosso aniversário de amizade, u_u).


Nesses 2 anos, 9 meses e 20 dias de amizade, eu tenho tantas coisas pra falar sobre você, que até me dá uma pequena grande moleza… Mas vamos lá! Lembro-me perfeitamente as circunstâncias em que nos conhecemos.  Eu era muito mais babaca, mais infantil. Você era um psicopata escrito, viciado em anime (naruto e bleach), e chegava a assustar as pessoas (acredito que isso mudou um pouco agora, né mesmo?). Bom, todas as coisas que já passamos estão em minha cabeça, mesmo tendo algumas que eu preferia deixar pra trás, ou fingir que não estão no meio dessa amizade. Mas sei que elas ajudaram eu me tornar quem sou hoje. Bem melhor, mais focada, mais VERDADEIRA. E devo dizer que no seu aniversário quem ganha sou eu, e as pessoas que convivem com você!  ~ Mas Jéssica, quem é você pra falar disso? – Eu sou a pessoa que fiz merda na sua vida, sou a pessoa que não merecia perdão e recebi, sou a pessoa que ouviu seus dramas, suas nerdisses, a pessoa que fica mais de uma hora contigo no celular, e porran, EU NUNCA NEM TI VI AO VIVO o_o ~

E sei que ultimamente você anda meio cético e tudo mais, mas eu acredito que tudo acontece como tem que acontecer, e se te conheci é porque deveria mesmo encontrar alguém que ia ajudar a colocar rumo nessa minha mente desvairada. Só eu sei o quanto aprendi contigo, só eu sei o quanto já me extressei contigo, e só eu sei de todas as histórias que você já me contou e vice-e-versa. Queria te dizer: OBRIGADA, baka! Obrigada por cada conselho, por cada demonstração de afeto(do seu jeito, claro), obrigada por confiar em mim, obrigada por me contar suas coisas, obrigada por me apresentar a nenis, obrigada por ser meu amigo, meu spiderbest. Obrigada mesmo!

E hoje é seu aniversáriozinho, e eu queria mesmo te dar algum presente, alguma coisinha legal. Mas partindo do pressuposto (aprendi a falar assim na faculdade) que 1º não tenho seu endereço, 2º universitário é quebrado, totalmente sem dinheiro e 3º eu moro longe e nem dá pra te dar um big abraço de 1m56 de altura! HDUISAHDSADIUAS. Mas, o que posso te prometer é que da minha parte nossa amizade vai adiante, eu vou cuidar dela sempre, eu vou te aguentar por quanto tempo você quiser que eu te aguente, e não vou deixar você me esquecer. – porque é minha vez de correr atrás, né? Então,

feeeeeeeeeeliz aniversário spiderbest, muitas felicidades, shows das suas bandas favoritas, saúde, termine a faculdade, pare de loucura e coloque juízo na cabeça (lembra que tomei juízo por sua causa, u___u). FELIZ ANIVERSÁRIO ZAC JUNIOR -nnnn.


Eu te amo, ok. Happy Bday.

誕生日おめでとう

 

Aleatoridades.

Me peguei aqui, escrevendo e apagando muitas vezes, deixando algumas frases nos rascunhos. Descobri que se escrevo com pretexto o texto não sai. Percebi também que se escrevo no bloco de notas, as palavras fluem com uma facilidade que me assusta. Susto – acho que faz algum tempo que não me sinto assustada, existem alguns sustos que podem ser considerados bons, né? Nos assustamos com coisas novas. Queria coisas novas. Novas ideias. IDEAIS. Sinto falta de não ter um plano pra amanhã. Um plano pra não realizar, porque não tenho feito o planejado. Estou cansada desse cansaço atoa, dessa falta do que me cansar.

Esse hábito de aceitar.

E simplesmente acontece que um dia – bem assim do nada- você começa a ver as coisas de uma maneira um tanto quanto diferente. E muitas das coisas, e pessoas, que um dia já fizeram sentido pra você passam a ser apenas um pedaço do seu passado. A lei é não desprezar nenhum desses pedaços. O importante é respeitar, e deixar “passar”.
Não é porque passaram, que não valeram a pena.
Não é porque valeram um dia, que continuarão valendo pra sempre!

                       – let it be.

Eu preciso só de um pouco de tempo. Eu não quero que ninguém me entenda, eu não preciso de consolação.

Quero tempo, espaço. E só!

Essa vida de Marília.

Sim, sumi! Talvez mais do que deveria, mas no fim não foi falta de tempo, ou qualquer coisa assim. FOI PREGUIÇA, logo digo! Mas para conseguir melhorar minha situação, algumas fotos dessa vida de Marília.

 Turma de Arquivologia.

Bem minhas: Trio Parada Dura

Leilão dos Bixos:
Meio na loucura, pratododia ❤
Show do Charlie Brown Junior
+1
Aqueles finais de semana com 4 festas…
+1  


A dona da mente perdida .

Jéssica, 20 anos. Universitária, leitora compulsiva, mente desestruturada, falante e irritante. Já sonhei em mudar o mundo, mas hoje me sinto feliz vivendo um dia de cada vez. ABOUT

minha mente perdeu a direção .

Porque esse nome, Jéssica? Bem, a minha mente é um viajante nato que de tanto voar atoa por ai, acabou perdendo a direção! Tá, é brinks -ounão. Simples, é um trecho da música Valentine's day, do Linkin Park que eu conheci em meados de 2009, e acabou marcando. '-'  E quando vim fazer o blog, foi uma das primeiras frases que me passaram pela cabeça

Lost Time .

agosto 2017
S T Q Q S S D
« nov    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Lost Way.

Flickr Photos

Mentes perdidas

  • 4,829